MFD - Magia do Fogo Divino

É um dos graus iniciáticos da Magia Divina, uma prática espiritual que utiliza velas coloridas, pemba (pedra de giz), incenso e elementos naturais como fogo, água, cristais, flores, ervas, conchas, pedras, sementes, dentre outros para ativar e direcionar as Irradiações Divinas dos Tronos de Deus (Orixás). Um conhecimento oculto e sagrado, que deve ser praticado com fé e respeito.

Também conhecida como Magia Divina das Velas ou Magia das Sete Chamas Sagradas.
Nesse tratamento, as Sete Chamas Sagradas são representadas pelas velas de diferentes cores, e tem a função de ativar as irradiações dos Tronos de Deus (Orixás), os Seres Divinos que regem os Mistérios da Criação. Suas energias divinas arquetípicas e atributos espirituais podem ser invocadas para equilibrar e harmonizar aspectos espirituais e energéticos da vida, cura, proteção e transformação pessoal.

Uma prática espiritual fácil e poderosa que pode beneficiar a vida das pessoas, seus lares e trabalhos. Uma ferramenta valiosa para aqueles que buscam auxílio para solucionar questões de ordem emocional, conjugal, espiritual, financeira, familiar e social. Contribui para a proteção energética, prosperidade, desenvolvimento pessoal, bem-estar emocional e cura espiritual.

As cores das velas e seus significados na Magia Divina são:

Branca: Representa a paz, a verdade, a pureza e a destruição de energia negativa. Pode ser usada em qualquer ritual, especialmente para limpeza, consagração, saúde e purificação.

Amarela: representa a energia do sol, a criatividade, a inteligência, a concentração e a manifestação. Pode ser usada em rituais para sucesso, riqueza, estudos, criatividade, clareza mental e clarividência.

Laranja: representa o entusiasmo, a coragem, a vitalidade e a energia. Pode ser usada em rituais para boa sorte, alegria, comunicação, força de vontade e quebra de bloqueios.

Vermelha: representa a paixão, a energia, o amor, a luxúria, os relacionamentos, o sexo e a coragem. Pode ser usada em rituais para amor, autoestima, sensualidade, saúde e vencer o medo.

Roxa: representa a consciência espiritual, a sabedoria e a tranquilidade. Pode ser usada em rituais para meditação, contato com o plano espiritual, intuição e paranormalidade.

Azul: representa a meditação, a cura, o perdão, a inspiração, a fidelidade e a felicidade. Pode ser usada em rituais para harmonia no lar, amor fraterno, paz e projeção astral.

Verde: representa a natureza, a cura, a fertilidade, a sorte, a abundância e o sucesso. Pode ser usada em rituais para prosperidade, saúde, crescimento e equilíbrio.

Preta: representa a proteção, a absorção e a destruição de energia negativa e também repelir energia negativa de outras pessoas. Pode ser usada em rituais para banimento, defesa e limpeza profunda.

Prata: representa a deusa ou energia feminina, desenvolve nosso psíquico e remove a negatividade. Pode ser usada em rituais para honrar o aspecto feminino do divino e potencializar as habilidades psíquicas.

Dourada: representa a iluminação espiritual, clareza mental, intuição, conexão com o poder espiritual, o Divino, e o conhecimento superior. Também a prosperidade material, sucesso e abundância

O Elemento Fogo

1. Transformação e Purificação: Nas práticas mágicas, o fogo é usado para purificar e limpar energias negativas, tornando-o essencial em rituais de limpeza espiritual.

2. Paixão e Energia Vital: O fogo também simboliza paixão, desejo e a energia vital. Ele é visto como uma fonte de motivação e entusiasmo. Nas tradições espirituais, acender uma chama pode ser uma maneira de invocar essa energia para alcançar objetivos e metas.

3. Iluminação e Conhecimento: O fogo é frequentemente associado à luz e ao conhecimento. Ele representa a iluminação espiritual, a clareza mental e a compreensão. Nas práticas de meditação, o fogo interno é considerado o ponto de acesso à sabedoria interior.

4. Proteção: O fogo também é usado como um símbolo de proteção. Muitas culturas acreditam que a chama pode afastar espíritos malignos e energias negativas. Velas e tochas acesas são usadas para criar uma barreira de proteção em rituais mágicos.

5. Criação e Manifestação: O fogo é considerado o elemento da manifestação. Quando usado em rituais, é visto como a força que ajuda a tornar realidade os desejos e intenções. É a ponte entre o mundo espiritual e o material.

6. Força da Vontade: O fogo está relacionado à força da vontade e à determinação. Nas práticas mágicas, é usado para fortalecer a resolução e a capacidade de superar obstáculos.

7. Elemento Ritualístico: Velas e incensos são frequentemente usados em rituais mágicos para representar o elemento fogo. As cores das velas e os tipos de incensos são escolhidos de acordo com os objetivos do ritual.

O QUE SÃO OS TRONOS DE DEUS?

Os tronos de Deus são um Mistério da Umbanda e também da teologia cristã. Eles se referem aos Seres Divinos que regem os aspectos mais elevados da Criação, e manifestam a Energia de Deus através das forças da natureza.

Na Umbanda, os tronos de Deus são representados por sete Orixás, que são:

Oxalá e Logunan: O Trono da Fé, que irradia a essência cristalina da pureza, da verdade e da paz. Oxalá é o orixá masculino e Logunan é o orixá feminino desse trono.
Oxum e Oxumaré: O Trono do Amor, que irradia a essência dourada do amor puro, real, maduro e incondicional. Oxum é a orixá feminina e Oxumaré é o orixá masculino desse trono.
Xangô e Iansã: O Trono do Conhecimento, que irradia a essência rubi do saber, da justiça e da lei. Xangô é o orixá masculino e Iansã é a orixá feminina desse trono.
Ogum e Iemanjá: O Trono da Justiça, que irradia a essência prateada da ordem, da harmonia e do equilíbrio. Ogum é o orixá masculino e Iemanjá é a orixá feminina desse trono.
Oxóssi e Obá: O Trono do Conhecimento Natural, que irradia a essência verde da sabedoria, da natureza e da vida. Oxóssi é o orixá masculino e Obá é a orixá feminina desse trono.
Obaluaiê e Nanã: O Trono da Evolução, que irradia a essência violeta da transformação, da renovação e da cura. Obaluaiê é o orixá masculino e Nanã é a orixá feminina desse trono.
Exu e Pombagira: O Trono da Lei Maior, que irradia a essência negra da liberdade, do movimento e do destino. Exu é o orixá masculino e Pombagira é a orixá feminina desse trono.

 

 

A Geometria Sagrada dos Pontos Riscados

A geometria sagrada desempenha um papel significativo nos “pontos riscados” utilizados nas práticas da Umbanda. Estes pontos são desenhos feitos no chão durante cerimônias espirituais para representar a presença das entidades incorporadas e também para canalizar energias específicas. Aqui estão alguns princípios da geometria sagrada relacionados a esses pontos:

1. Círculo: O círculo é um dos símbolos mais comuns e fundamentais na geometria sagrada. Ele representa a totalidade, a proteção e o infinito. Nos pontos riscados da Umbanda, o círculo muitas vezes envolve outros elementos geométricos, indicando a proteção das entidades e a continuidade da energia espiritual.

2. Linhas e ângulos: Linhas retas e ângulos específicos são usados para criar padrões geométricos nos pontos riscados. Cada ângulo pode ter um significado particular, como representar direções cardeais ou elementos da natureza.

3. Pentagrama: O pentagrama, uma estrela de cinco pontas, é frequentemente incorporado nos pontos riscados da Umbanda. Cada ponta do pentagrama pode representar um dos cinco elementos (terra, água, fogo, ar e éter) e também as cinco qualidades do divino.

4. Espiral: A espiral é outro símbolo comum na geometria sagrada. Ela representa o crescimento espiritual, a transformação e o movimento da energia. Nos pontos riscados, as espirais podem indicar o fluxo e a evolução espiritual.

5. Cruz: A cruz é um símbolo importante em muitas tradições espirituais, representando a conexão entre o divino e o terreno. Nos pontos riscados da Umbanda, a cruz pode ser usada para invocar a proteção e a orientação espiritual.

6. Padrões de grade: Às vezes, os pontos riscados apresentam padrões de grade geométrica, que podem representar a ordem cósmica e a estrutura espiritual. Esses padrões são usados para canalizar energias específicas e manter a harmonia espiritual.

A geometria sagrada é uma abordagem espiritual que explora as relações entre formas geométricas e princípios universais, muitas vezes aplicando essas formas para compreender aspectos do mundo espiritual e físico. Aqui está como ela funciona:

1. Símbolos e Formas: A geometria sagrada utiliza símbolos e formas geométricas específicas, como o círculo, o triângulo, o quadrado, a espiral, o pentágono, entre outros. Cada uma dessas formas é associada a significados espirituais ou energéticos específicos.

2. Proporções e Relações: A geometria sagrada também se concentra nas proporções e relações entre essas formas. Por exemplo, o Retângulo Dourado é uma proporção especial que está presente em muitos elementos naturais e é vista como um princípio fundamental da criação.

3. Conexões Espirituais: Os praticantes da geometria sagrada acreditam que essas formas geométricas estão intrinsecamente ligadas a princípios espirituais e energéticos do universo. Eles acreditam que ao compreender e usar essas formas, podem sintonizar-se com forças superiores ou acessar insights espirituais.

4. Aplicações Diversas: A geometria sagrada é aplicada de várias maneiras. Alguns a usam na meditação, desenhando ou visualizando formas geométricas para entrar em estados mais elevados de consciência. Outros a aplicam na arquitetura e no design, acreditando que certas proporções geométricas podem criar espaços espirituais.

5. Rituais e Práticas Espirituais: Em tradições espirituais, como a Umbanda mencionada anteriormente, a geometria sagrada pode ser usada em rituais e cerimônias para invocar energias ou entidades espirituais. Os pontos riscados são um exemplo disso, onde símbolos geométricos são desenhados para canalizar a energia das entidades.

6. Conexão com o Divino: Muitos acreditam que a geometria sagrada ajuda a estabelecer uma conexão mais profunda com o divino e a compreender os mistérios do universo. É visto como uma ferramenta para explorar o mundo espiritual e melhorar o crescimento espiritual pessoal.

Geometria Sagrada e Mecânica Quântica

A ligação entre geometria sagrada e conceitos quânticos é uma área de estudo que combina princípios da mecânica quântica com a espiritualidade e a geometria sagrada. Essa abordagem sugere que as formas geométricas e os símbolos utilizados na geometria sagrada podem ser vistos como representações simbólicas de conceitos quânticos. Aqui estão algumas ideias relacionadas a esse conceito:

1. Ressonância e Frequência: Na física quântica, a ideia de que tudo tem uma frequência vibracional é fundamental. A geometria sagrada muitas vezes envolve formas que têm proporções e ângulos específicos, sugerindo que essas formas podem ressoar em frequências específicas. Essa ressonância pode ser vista como uma maneira de sintonizar-se com energias ou dimensões superiores.

2. Conexão Não Local: A física quântica desafia a noção tradicional de espaço e tempo. Os conceitos quânticos, como a não localidade, sugerem que as partículas subatômicas podem estar conectadas de forma instantânea, independentemente da distância. A geometria sagrada, com suas formas que transcendem limitações físicas, pode ser vista como uma representação simbólica dessa conexão não local.

3. Potencialidade e Observação: Na teoria quântica, a observação desempenha um papel fundamental na manifestação da realidade. A geometria sagrada pode ser interpretada como uma forma de “observação” simbólica, onde as formas e símbolos são usados para direcionar a atenção e a intenção para criar realidades desejadas.

4. Unidade e Interconexão: Tanto a física quântica quanto a geometria sagrada enfatizam a ideia de unidade e interconexão. As formas geométricas muitas vezes representam a unidade de todos os elementos e a interconexão de todas as coisas. Isso se alinha com a visão quântica de um universo interligado.

5. Potencial de Transformação: A física quântica sugere que as partículas podem existir em múltiplos estados ao mesmo tempo, até serem observadas. A geometria sagrada, quando usada em meditação ou rituais, pode ser vista como uma maneira de acessar estados potenciais de transformação e mudança espiritual.

Scroll to Top